Série “Eva Stories”, sobre a “Anne Frank húngara”, ganha o “Oscar da Internet”

A série do Instagram “Eva Stories”, que conta os últimos dias de Eva Heyman, a “Anne Frank húngara” que morreu nas câmaras de Auschwitz aos 13 anos, recebeu o “Prêmio Webby”, considerado o “Oscar da Internet” pelo conteúdo digital.

O projeto, concebido pelo empresário Mati Kochavi e sua filha Maya, venceu na categoria “Melhor Uso de Histórias” para 2020. “Eva Stories” foi seguido por centenas de milhões de espectadores em todo o mundo e, segundo seus idealizadores, ganhar o “Webby” atingiu o objetivo, que era chamar a atenção do público sobre a vida da jovem que sofreu os horrores do campo de concentração de Auschwitz até seu assassinato, pelo simples fato de ser judia.

“Eva Stories” conta a verdadeira história de Eva Heyman. Ele é construído como uma série de 220 histórias do Instagram que foram lançadas em 48 horas, documentando a vida de uma garota comum, como se as redes sociais tivessem existido naqueles anos.

A história começa com a vida feliz de Eva na Hungria e termina com sua morte nas câmaras de gás nazistas em Auschwitz. “Eva Stories” atingiu mais de 300 milhões de visitas em todo o mundo. O projeto ganhou cobertura da mídia sem precedentes em mais de 70 países, chamando a atenção de aproximadamente um bilhão de pessoas.

Em menos de duas semanas desde a publicação, a conta do Instagram de Eva acumulou 1,6 milhão de seguidores. As histórias resultaram em 10 milhões de interações em 12 horas e 200 milhões de pesquisas no Google. Líderes mundiais, celebridades e líderes de opinião ajudaram a promover o projeto, incluindo a Casa Branca, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, a comediante americana Sarah Silverman e a atriz Gal Gadot. Os “Webby Awards” são apresentados há 24 anos pela Academia Internacional de Artes e Ciências Digitais em reconhecimento à excelência na Internet. O júri da Academia é composto por 1.000 especialistas do setor e inventores de tecnologia.